segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Perguntas

Quando passo pelo espaço e que converso com os presentes, algumas dúvidas surgem e tento o melhor possivel responder às perguntas que me são postas.
Como sempre digo, existem pessoas bem mais qualificadas e preparadas para responder do que eu, no entanto, todos nós temos opiniões e é nessa base que me pronuncio sobre os demais temas que me colocam.
É tambem nessa base, que me vou aqui explanando.
No outro dia perguntaram me se o nosso destino estava traçado, fiquei perplexo e após um pedido de explicação mais completo, percebi onde a pessoa queria chegar.
Quando chegamos a este mundo vimos com uma lista de passos a serem levados a cabo, missões ou outro nome que lhe queiram chamar. O nosso futuro está dependente da forma como vivemos cada um dos nossos dias.
A nossa vida é um constante encruzilhar de estradas e consoante o caminho que escolhemos assim será o nosso futuro imediato.
Temos uma linha orientadora de vida, de facto, mas não pode nem deve ser tomada como definitiva, porque cabe sempre à nossa forma de estar e de actuar o desenvolvimento dessa linha.
Por isso quando ficam a saber de algo que vos vai acontecer na vida, não devem tomar isso por uma certeza absoluta, mas sim como uma orientação. Devem tomar consciência do que foi dito e visualizar todas as hipóteses que podem levar à concretização do que vos foi dito ou então, caso não gostem do que vos foi sugerido, do que pode ser feito para o alterar.
Os únicos dados certos da vida de cada um são o nascimento e a morte, os outros são circunstanciais.
Como disse no inicio esta é a minha forma de pensar e é nessa base que eu vou continuar a responder a algumas dúvidas que ultimamente me têm colocado.
Um abraço luminoso a todos